domingo, 13 de março de 2011

A SANTA INQUISIÇÃO


A inquisição católica romana foi uma das maiores desgraças que ocorreram na história da humanidade. Se iniciou sob o comando do papa Teodoro l (646-649) que mergulhava sua pena em vinho consagrado antes de sentenciar a morte dos supostos hereges, que em sua maioria eram mulheres. Durante 1.200 anos, um número estimado em mais de 75 milhões de pessoas foram torturadas, com requintes de crueldade, em nome de Jesus. O indivíduo é detido sem qualquer aviso e levado perante um juiz. ¨Foi você quem criou uma tempestade destruindo as colheitas da cidade?¨ “Foi você que matou seu visinho com mau olhado?” ¨Acaso duvida que Cristo esteja corporalmente vivo na eucaristia?¨ “Foi você que se transformou num gato para atazanar seus desafetos?”.
Não perceberá que este tipo de pergunta não permite resposta exculpatória. Ninguém lhe dirá o nome de seus acusadores, pouco importa. Mesmo que contrariassem as acusações contra si, seriam simplesmente punidos como falsas testemunhas ao passo que suas acusações originais conservariam seu peso como prova de sua culpa. Mas resta-lhes uma alternativa: Pode admitir sua culpa e identificar seus cúmplices. Nenhuma confissão será aceita sem que haja outras pessoas envolvidas em seu crime.
Agora enfrentará um castigo proporcional à gravidade dos seus pecados. Flagelação, renúncia à suas propriedades, longo período de encarceramento e quem sabe, para o resto da vida. Ou poderá insistir na sua inocência (afinal, não há muitas pessoas capazes de criar tempestades nem de se transformar em gatos). Em resposta, seus carcereiros ficarão encantados por poderem conduzi-lo aos limites extremos do sofrimento humano antes de o queimarem na fogueira. Poderão aplicar-lhes parafusos nos polegares ou nos dedões dos pés, uma espécie de torno em forma de pêra poderá ser introduzido em sua boca, vagina ou ânus que serão apertados até não agüentar mais a dor. Poderá ser suspenso no teto (strappado) com os braços atados às costas presos a uma roldana com pesos amarrados aos pés para deslocar os ombros.
Se tiver a infelicidade de se encontrar na Espanha onde a tortura judicial atingiu um nível de crueldade inimaginável, poderá ser colocado numa cadeira espanhola. Um trono em aço munido de barras de ferro para fixar os ombros e o pescoço. No intuito de salvar sua alma, será colocado um braseiro em seus pés tostando-os lentamente. Como a mácula da heresia é muito profunda, sua carne será untada com gordura para impedir de arder demasiadamente rápido. Ou será atado, de costas, a um banco com um caldeirão cheio de ratos colocado, de fundo para cima, sobre seu abdome. Mediante a aplicação de calor ao ferro, os ratos começarão a esgravatar sua barriga em busca de uma saída.
Se porventura sobreviver a qualquer destas condições extremas e admitir aos seus algozes que é efetivamente um herético, um feiticeiro ou uma bruxa, será obrigado a confirmar isto perante um juiz inquisidor. Qualquer tentativa de desmentir alegando que sua confissão foi obtida mediante tortura, terá duas opções à escolha: Será devolvido a seus torturadores ou irá direto para a fogueira.
Acaso se arrepender de seus pecados, estes homens compassivos cuja preocupação com o destino de sua alma eterna parece não ter limites, farão a gentileza de estrangulá-lo antes de acender o fogo. Se uma mulher fosse acusada de bruxaria, ficava na iminência de sofrer uma tortura muito especial por parte do clero sedento de sexo. Os sacerdotes católicos tornaram-se assassinos, estupradores e voyeurs.
Métodos de combate a heresias também foram utilizados por igrejas protestantes na Alemanha e Inglaterra, principalmente na perseguição contra católicos e praticantes de bruxaria.
Heresia é heresia, e qualquer pessoa que acredita que a bíblia contém a palavra de infalível de Deus, compreenderá a razão pela qual estas pessoas tinham que ser mortas. “Faça-se a barba aos cães”. Quando um homem imagina que só precisa acreditar, sem provas, na verdade de uma preposição, que seu Deus o protege e que os não crentes irão para o inferno, torna-se capaz de tudo. Qualquer indivíduo, cristão ou não, conhecendo a história da inquisição não verá, mais, o cristianismo com os mesmos olhos.
Comparada com os horrores da Europa medieval ou com a influência negativa do cristianismo quanto a evolução da humanidade, o terrorismo muçulmano parece brincadeira de criança.
Milhões de cristãos e mulçumanos continuam a organizar suas vidas em função das tradições proféticas que não se concretizarão mesmo jorrando rios de sangue em Israel. Não é difícil imaginar que as profecias de uma guerra assassina, se levadas a sério, podem realmente se concretizar. Ainda mais quando um queima a Bíblia do outro. 
http://1.bp.blogspot.com/_L558shoURQE/SxVgqnfTwrI/AAAAAAAAATs/zfGUvwtUJcc/s1600/fogueira.jpeghttp://3.bp.blogspot.com/_ckiuWCGGLl8/S9eYkbu8BTI/AAAAAAAAAN0/_Ud911Vg9ds/s1600/Tortura+Inquisicao+-+H+DO+MUNDO.jpg  
só pra ilustrar melhor. 


Rui Barbosa, muitos anos depois iria comentar o ocorrido desta forma: “De Anás a Herodes, o julgamento de Cristo é o espelho de todas as deserções da justiça, corrompida pelas facções, pelos demagogos e pelos governos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário